CUIABÁ

MARCELO NEVES

“Craque” Neto detona Arena Pantanal em seu programa na Band

Publicado em

MARCELO NEVES

Complexo Arena Pantanal. Crédito: AssCom Governo de Mato Grosso

O apresentador do programa Os Donos da Bola da Band, o ex-jogador Neto, com sua indignação pela derrota do time do coração para o Cuiabá na noite de terça-feira(07), tratou de criticar a diretoria corintiana, técnico, jogadores e também o centroavante Jô que estava em um pagode na hora da partida.

Porém, ao querer defender o torcedor corintiano e criticar o valor do ingresso, mal soube dizer onde foi realizada a partida e ao ser informado pelo seu colega Veloso que o jogo era em Cuiabá, disse que a cidade tem uma Arena que não serve para nada.

Hoje a Arena Pantanal abriga a Escola Arena (Escola Estadual Governador José Fragelli, para cerca de 400 alunos do 7º ano Fundamental até o 1º ano Médio), a Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer do Estado, uma unidade do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) e o centro de arrecadação de alimentos do programa Vem Ser Mais Solidário. Serviu como centro de Triagem da Covid-19 no maior pico da pandemia, e além disso serve de área de lazer em seu entorno para o cidadão cuiabano.

Leia Também:  Atlético-MG alega falta de estrutura em Cuiabá e não irá cumprir protocolos da CBF

Cuiabá tem um time que atualmente joga a Série A do Brasileiro, sediou a final da Supercopa do Brasil este ano entre Atlético-MG x Flamengo, foi palco da Copa América no ano passado e vários times mandaram jogos por aqui, inclusive o time de coração do “craque” Neto.

A Arena Pantanal não é apenas um estádio de futebol, é um complexo que é composto pelo ginásio Aecim Tocantins, que já recebeu Mundial de vôlei, Copa América de Basquete, Copa América de Futsal e vários outros eventos, também compõe o complexo a primeira piscina olímpica do estado de Mato Grosso, que obedece as medidas olímpicas de 50m x 25m e o Palácio das Artes Marciais Lusso Sinohara. Para assegurar a infraestrutura necessária à realização de eventos dos mais variados portes, o complexo conta também com estacionamento, alojamento e auditório.

Portanto “craque”, a Arena Pantanal serve para muita coisa além do futebol, uma pena que você, apresentador de um programa de ampla audiência seja tão pouco informado, e desta forma fala uma enormidade de besteiras para desmerecer um time que venceu o seu e desdenhar de um local que tão bem recebeu seu time de coração.

Leia Também:  Prefeitura de Cuiabá pode permitir público acima de 30% para decisão da Supercopa

Espero que após esse pequeno texto você saiba que a Arena Pantanal não é apenas um estádio de futebol e que serve para diversos outros exemplos, entre eles, uma escola, pois com certeza os alunos que passam por ali são mais informados que você.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MARCELO NEVES

André e a balada

Publicados

em

André Felipe em treinamento no CT do Dourado. Crédito: AssCom Cuiabá

Muitos torcedores “torceram” o nariz quando o Cuiabá apresentou o atacante André, que no Dourado passou a se chamar André Felipe. Isso porque o jogador com fama de baladeiro, o que lhe rendeu o apelido de André Balada, apelido que o jogador não gosta.

Desde que chegou, André entrou em campo 19 vezes pelo Cuiabá, marcou três gols e deu duas assistências. E até então vinha se comportando bem fora de campo. Ficou de fora do time um certo período, se recondicionou fisicamente, voltou ao time como titular e nas últimas partida era a principal peça no ataque cuiabanista e veio uma lesão muscular que o tirou de campo. A última partida de André Felipe havia sido contra o Ceará no dia 18 de junho.

No último sábado, o jogador foi flagrado em um pagode na capital paulista ao lado da esposa e do ex-jogador Elias, que atualmente trabalha com Ronaldo Nazário na gestão do Cruzeiro e do Valladolid da Espanha.

Agora vem a seguinte pergunta: se o jogador está contundido e fazendo tratamento com os médicos do Cuiabá, o que ele foi fazer em São Paulo? Se ele foi para São Paulo teve autorização do clube, quem o autorizou a viajar?

Leia Também:  André e a balada

Se o atleta está sob tratamento médico, não poderia o clube autorizar a viagem para São Paulo, se alguém está errado na história, o maior errado é quem o liberou. Cabe ao clube se posicionar e chamar a responsabilidade para si de ter dado anuência da viagem. E se o jogador está de folga, não sejamos hipócritas de achar que ele ficará em casa assistindo Netflix.

A postura do Cuiabá está errada e não pode querer aplicar alguma penalidade ao jogador, ele não foi para São Paulo sem o clube ficar sabendo, ele foi autorizado e  com o conhecimento dos dirigentes do clube.

O torcedor pode até cobrar o jogador pelo momento atual do clube, de brigar por uma postura profissional do atleta, mas o torcedor precisa saber que a culpa maior é do dirigente que o liberou para viajar para a capital paulista. E até o momento o André não cometeu nenhuma falta grave contra o Cuiabá Esporte Clube.

Não chegou atrasado aos treinos, não faltou treino, cumpriu suas obrigações durante o tratamento e não deixou o clube sem o conhecimento dos dirigentes. Ele viajou e foi à uma festa em seu momento de folga e volto a repetir, autorizado pelo clube.

Leia Também:  Nível do futebol brasileiro é baixo, mas de quem é a culpa?

Claro que a fama e o apelido irão persegui-lo até o final de sua carreira, e fatos como do último sábado apenas fazem com que o apelido “Balada” volte a tona. Errou o jogador em se expor? Sim, isso é fato. Mas erra ainda mais o clube de, primeiro não comunicar sobre o quadro de lesão do atleta, segundo por não vir à público dizer quem autorizou o atleta de viajar e por último de pensar em punir o jogador.

No caso da balada, erram todos, mas um errou com consentimento de alguém, e que agora o André retorne ao time e apague a imagem dentro do campo com gols e assistências, até porque com o time vencendo, até o torcedor irá junto para a balada.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA