CUIABÁ

ARTIGOS

DISLIPIDEMIAS, O BOM E O MAU COLESTEROL...

Publicado em

ARTIGOS

Dos pontos de vista fisiológico e clínico, os lípides biologicamente mais relevantes são os fosfolípides, o colesterol, os triglicerídeos e os ácidos graxos. Os fosfolípides formam a estrutura básica das membranas celulares. O colesterol é precursor dos hormônios esteroidais, dos ácidos biliares e da vitamina D. Os triglicérides são formados a partir de três ácidos graxos ligados a uma molécula de glicerol e constituem uma das formas de armazenamento energético mais  importantes do organismo, depositados nos tecidos adiposo e muscular.

O excesso de colesterol e triglicérides é prejudicial e aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. Em nosso sangue existem dois tipos de colesterol:

* LDL Colesterol: conhecido como “mau colesterol”, ele pode se depositar nas artérias e provocar o seu entupimento;

* HDL Colesterol: conhecido com “bom colesterol”, retira o excesso de colesterol para fora das artérias, impedindo o seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura.

A avaliação do Colesterol Total, com a finalidade de mensurar o risco cardiovascular é recomendada pelos programas de rastreamento populacional, porém para avaliação adequada deste risco, são imperativas as análises do HDL Colesterol e do LDL Colesterol.

A coleta de sangue deverá ser realizada após jejum de 12 horas para determinação do perfil lipídico (colesterol total e frações + triglicérides). Além disso, devem-se evitar ingestão de álcool e atividade física vigorosa nas 72 e 24 horas que antecedem a coleta de sangue, respectivamente.

Leia Também:  Diretrizes Brasileiras de Hipertensão 2020 – Parte 2

 

FATORES DE RISCO

Muitos fatores podem contribuir para o aumento do colesterol, como tendências genéticas ou hereditárias, obesidade e atividade física reduzida. No entanto, um dos fatores mais comuns é a dieta.

A gordura saturada é um tipo de gordura que, quando ingerida, aumenta a quantidade do mau colesterol no organismo. Está presente, principalmente, em alimentos de origem animal. A carne vermelha, mesmo quando aparentemente “magra”, possui moléculas de colesterol entre as suas fibras e deve ser evitada. As margarinas light ou diet devem ser as escolhidas em substituição à manteiga.

As gorduras insaturadas estão presentes, principalmente, em alimentos de origem vegetal. Elas são essenciais ao organismo, mas o corpo humano não tem condição de produzi-las, sendo necessário consumi-las na alimentação. A substituição de gorduras saturadas por insaturadas na dieta, auxilia na redução  do mau colesterol no sangue.

 

SINTOMAS DO COLESTEROL

O colesterol alto não apresenta sintomas, por isso, quem tem obesidade, possui história de morte na família por infarto, é sedentário e/ou alimenta-se com ingestão exagerada de gorduras saturadas tem mais chances de ter colesterol alto. A aterosclerose (doença do colesterol nas artérias) não produz qualquer tipo de sintoma até que ocorra a obstrução de uma ou mais artérias.

Leia Também:  ARTIGO

PREVENÇÃO

Além de uma alimentação equilibrada, há outras maneiras de evitar o aumento do colesterol e, até mesmo, diminuí-lo:

  • Fazer exercícios físicos: a atividade física pode ajuda-lo a emagrecer e a diminuir as tensões.
  • Não fumar: o cigarro é um fator de risco para doença coronária.
  • Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Evitar o estresse: uma vida menos estressada também diminui o risco de infarto. Procure transformar as suas atividades diárias em algo que lhe dê satisfação;
  • Fazer uma dieta com baixos níveis de gordura e colesterol: seja rigoroso no controle da alimentação.

 

Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados por pessoas com diabetes, pois estas apresentam riscos de manifestações da aterosclerose de três a quatro vezes maior que as pessoas não diabéticas.

 

Valores referenciais do perfil lipídico para adultos maiores de 20 anos:

Dr. Fábio Argenta / CRM MT 4194

Especialista em Cardiologia – RQE 2859

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTIGOS

O CONHECIMENTO E A ARTE DE ENSINAR

Publicados

em

Dizemos que sabemos alguma coisa se temos uma opinião formada, ou uma visão, sobre ela. Esta opinião ou visão é algo muito próprio de cada pessoa. Não há como transferir para as outras. É como um sentimento.

 

É por isso que CONHECIMENTO NÃO SE TRANSFERE, AJUDA–SE A CONSTRUIR. Cada um de nós desenvolve o seu, como fruto da familiarização com o meio, com o que se deseja conhecer ou com o que se convive. Assim é o CONHECIMENTO. É algo que se adquire.

 

Ensinar o que sabemos para alguém não é transferir esse saber, mas sim, modelar no outro uma visão sobre isso que sabemos. O sucesso dessa tarefa depende da clareza e da consistência da nossa visão. Se temos clareza do que sabemos, falamos com clareza, e claras serão as ideias formadas por aqueles que nos ouvem. A isso podemos chamar de  A ARTE DE ENSINAR.

 

Um bom professor é aquele que tem um boa visão daquilo que precisa ensinar; é aquele que pensa com clareza sobre o que sabe, fala com clareza. Por outro lado, aquele que ouve entende claramente, desenvolve uma visão clara e constrói o seu CONHECIMENTO.

Leia Também:  Novo ICMS e redução de danos

 

Prof. Sidney Farina

Fundador, Professor e Diretor da ESCOLA DO FARINA

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA