CUIABÁ

MATO GROSSO

Governo fomenta melhoramento genético de rebanho leiteiro na Região Oeste

Publicado em

MATO GROSSO


Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) iniciaram o protocolo para transferência de embriões em 418 bovinos da cadeia leiteira nas cidades de Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade. O trabalho faz parte do Programa MT Produtivo Leite, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), em parceria com a Empaer e Prefeituras.

Em Pontes e Lacerda, os trabalhos foram realizados em 16 propriedades, na segunda e terça-feira (17 e 18.01), com o procedimento em 256 vacas ou novilhas. Em Vila Bela da Santíssima Trindade, na quarta-feira (19), com atendimento em 10 propriedades e 162 animais implantados, deram inicio ao protocolo de transferência de embrião.

Ao todo são quatro etapas, sendo as três seguintes: aplicação de hormônios, transferência dos embriões e o diagnóstico de gestação com sexagem depois de 60 dias após a transferência.

A técnica da Empaer, Rafaela Sanchez, explica que a expectativa é atingir 40% de vacas prenhas, com a meta de 120 animais por cada município, nas duas fases do trabalho, sendo a segunda, já no próximo mês.

Leia Também:  Governo regulamenta redução de jornada para peritos do INSS

Rafaela pontua que para o mês de fevereiro, estão programados 17 produtores, sendo sete em Pontes e Lacerda e 10 em Vila Bela da Santíssima Trindade, com 260 animais que serão implantados para garantir a meta estabelecida.

“A equipe da Empaer está empenhada nas quatro fases do manejo. Estamos na primeira delas e seguimos orientando e assistindo o produtor em sanar qualquer dúvida que possa surgir durante o procedimento”.  

O produtor de Pontes e Lacerda, Alair Rosa, destaca estar satisfeito e na expectativa. Ele acredita que o Programa irá ajudar no aumento da renda dos produtores de leite do município. “Venho acompanhando o trabalho da equipe da Empaer e estou muito satisfeito. Estou muito feliz e acreditando que minhas vacas ficarão prenhas”.

O secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Pontes e Lacerda, Anésio Braga Ortêncio Munhoz, ressaltou que a parceria permite o melhoramento genético dos rebanhos leiteiros da Agricultura Familiar, aumentando a produtividade, produção e renda dos produtores de leite. “É uma iniciativa que irá mudar o rebanho bovino leiteiro do pequeno produtor. A Empaer como sempre empenhada em fazer uma assistência técnica de qualidade”.

Leia Também:  Poder Judiciário realiza evento sobre violência doméstica na Universidade Federal de Mato Grosso

O secretário de Agricultura de Vila Bela da Santíssima Trindade, Márcio Ariovaldo Muritiba Lima, destacou que o Programa viabiliza ao agricultor familiar um gado de qualidade por um valor acessível. “O Programa irá proporcionar que sejamos destaque pela referência e qualidade dos animais que nascerão. Uma pecuária leiteira de excelência e qualidade”.

Os trabalhos estão sendo realizados pelos técnicos da Empaer, Rafaela Sanchez de Lima, Tânia Maria dos Reis Tomé e Loana Longo, servidores de Pontes e Lacerda: Antônio Carlos Marques de Almeida e João Antônio Tosti, servidores de Vila Bela da Santíssima Trindade: Oziel Ribeiro Coelho e Luis Henrique Franco Romão, além dos representantes da empresa Fertiliza.

Foto: Empaer

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Juiz da Corte Interamericana fala de medidas cautelares e prisão processual após a Lei Anticrime

Publicados

em

Medidas cautelares e prisão processual após a Lei Anticrime” foi o tema do painel 6 do evento jurídico “Pacote Anticrime – Avanços ou Retrocessos”, cuja mesa foi presidida pelo ministro do STJ Sebastião Reis, que destacou a importância do debate.
 
“São 911 mil presos, mais 350 mil mandados de prisão não cumpridos. Ou seja, se somarmos todos aqueles que deveriam estar presos teríamos uma população carcerária de 1 milhão e 200 mil pessoas, sendo que um percentual bem relevante – 35% ou 45% – sem decisão transitada em julgado, o que é mais assustador ainda. Esse tema precisa ser discutido”.
 
A palestra foi proferida pelo advogado do Distrito Federal Rodrigo Mudrovitsch, que é juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA). Os debatedores foram o desembargador do TJMT Orlando Perri e o promotor de Justiça Caio Márcio Loureiro.
 
Em relação às medidas cautelares, para Mudrovitsch a nova norma “é um avanço, um mérito do Legislativo, mas, também numa esteira que já vinha sendo construída pela jurisprudência há muito tempo e que orienta algo que já vinha sendo construído pelo nosso texto constitucional que redimensiona as posições e objetivos do Direito Processual Penal e do Direito Penal”.
 
Apontou a necessidade de “ler o Pacote Anticrime em conjunto com a Lei de Abuso de Autoridade (13.869/2019), que tem dois tipos penais (no artigo 9º), que necessitam de mais debate. Os avanços certamente melhoram, mas ainda deixam dois pontos de preocupação: o juízo de garantias e trazer vida prática à Lei de Abuso de Autoridade nos dispositivos que mencionei”.
 
O palestrante destacou ainda o papel do juiz brasileiro na Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA de aproximar o país, debater e julgar casos de outros países, trazendo experiências do Direito Comparado.
 
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual. Fotografia colorida com os integrantes do painel n. 6, onde aparecem, da esquerda para a direita, o desembargador Orlando Perri, o ministro Sebastião Reis, o advogado Rodrigo Mudrovitsch e o promotor de Justiça Caio Loureiro. Ao microfone está o ministro Sebastião Reis, com uma camisa azul clara.
 
Texto: Lídice Lannes (Assessoria de Imprensa da FESMP-MT)
Fotos: Bruno Lopes
 
 
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Por trabalhos sociais, primeira-dama de Mato Grosso é convidada para Virada Feminina Internacional
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA