CUIABÁ

MULHER

Tarot: use o Arquétipo de Lilith para  independência e autoconfiança

Publicado em

MULHER


source
Lilith foi a primeira mulher, feita do barro
John Collier, 1892

Lilith foi a primeira mulher, feita do barro

A história da criação humana gira em torno de Adão e Eva, que seriam os primeiros humanos na Terra. Contudo, fora da mitologia bíblica é que antes de Eva existiu Lilith, a primeira mulher, que não aceitou ser submissa a Adão e por isso foi expulsa do Éden. Ela teria se transformado na cobra que deu a maçã à Eva, resultando nos pecados mundanos.

Assim como o arquétipo da figura poderosa de Cleópatra , outro o arquétipo de Lilith tem se popularizado graças ao tarot. A taróloga e bruxa  Lia Nascimento explica que o mito da deusa a traz como criada a partir do barro, assim como o Adão. Lilith prefere perder os privilégios do Jardim do Éden a se submeter aos desejos do parceiro. Dessa forma, Lilith se tornou um grande símbolo da independência feminina. 

“Na comunidade pagã, Lilith é geralmente tratada e respeitada como uma divindade de suma importância. Tanto que, nos rituais e oferendas feitos a ela, se aplicam as diretrizes de execução de magia com deuses (Magia Divina). Algumas vertentes também podem tratá-la como uma entidade demoníaca, por conta justamente de seus aspectos contestadores, então ela também pode ser chamada de Lua Negra ou Deusa das Sombras”, explica. 

Leia Também:  Cintia Dicker encanta seguidores com foto de biquini

Nascimento conta ainda que para muitos, a deusa representa a mãe de todas as divindades pagãs. Há também a Comunidade Lilithiana, como são chamadas as filhas de Lilith, que tem uma relação mais profunda e conseguem alcançar prosperidade e poder, características relacionadas a ela. “Independente do nível de relação com a divindade, todos concordam que o legado de Lilith é recheado de lendas, mitos e ensinamentos fascinantes”, diz.

Leia Também

O que é o arquétipo de Lilith? 

A taróloga afirma que em contraponto à figura de Eva, Lilith simboliza o posicionamento e a independência da mulher diante do domínio masculino. Por isso, o contato com a deusa promove o aumento da autoconfiança da mulher para abandonar pessoas, situações e comportamentos que colocam em xeque seu poder de tomar decisões pautadas em seus próprios desejos. 

Leia Também

Nascimento, que acaba de lançar um e-book sobre o arquétipo de Lilith  diz que este material também deve contribuir na integração das nossas sombras, ou seja, na aceitação de nossos aspectos negativos através de uma análise racional – nos incentivando a melhorá-los. “Todo esse processo deve resultar naturalmente em um aumento gradativo da autonomia feminina – fator imprescindível, pois, ao serem submissas e objetificadas, as mulheres tornam-se passíveis de serem usadas, trocadas, violentadas ou até mesmo assassinadas”.

Leia Também:  Trabalho e dinheiro em abril: saiba o que pode rolar com o seu signo

A taróloga ressalta que tudo o que altera a percepção e comportamento pode apresentar algum tipo de risco, e isso vale também para os arquétipos. “O Arquétipo de Lilith pode causar uma noção exagerada de autossuficiência, gerando até um certo isolamento, caso usado por longos períodos de tempo. Porém, se o operador perceber algum outro efeito indesejado, a recomendação é simplesmente “desativá-lo”, parando de utilizar as referências, símbolos e comandos”, explica. 

Para ativar o arquétipo corretamente, Nascimento explica que é necessário estudar a fundo todas as características deste modelo e se dedicar diariamente em bombardear o inconsciente com suas correspondências. “Em meu e-book ‘Arquétipo de Lilith’, há um passo a passo do Método de Ativação Arquétipa, que além de um mantra e de um ritual exclusivo, mescla bruxaria natural com exercícios de autoconhecimento. […] Ao ser usado se forma lúcia, dosando com um toque de espiritualidade, o arquétipo de Lilith pode ajudar mulheres a assumirem o controle de suas emoções e de suas sombras de forma racional e sensata, e como resultado, incentivá-las a abandonar comportamentos e situações perigosas”, completa. 

Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MULHER

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho

Publicados

em

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho
Redação EdiCase

Home office: 6 dicas para organizar o ambiente de trabalho

Arquiteta explica o que deve ser priorizado para deixar o espaço confortável e funcional

Por Heloisa Vieira 

Com a pandemia, o home office virou realidade para boa parte das pessoas e se tornou uma tendência que veio para ficar. Com o aumento da produtividade dos funcionários e a praticidade do trabalho remoto, muitas empresas nem pensam em voltar ao regime 100% presencial, investindo, algumas vezes, em formatos híbridos. Com isso, a demanda por um local de trabalho adequado segue alta nos projetos residenciais.

“Muito mais do que mesa, cadeira e computador, o escritório é um cantinho que merece muita atenção. Afinal, passamos boa parte do nosso dia ali”, lembra a arquiteta Carina Dal Fabbro. Além dos móveis corretos e das questões de ergonomia, também vale pensarmos detalhadamente na organização diária desse local para torná-lo ainda mais funcional e estimulante.

Pensando nisso, a arquiteta listou algumas dicas para você ter um espaço especial para trabalhar. Confira!

> 4 dicas para usar itens com valor afetivo na decoração

1. Invista em um mobiliário adequado 

Para que o espaço de trabalho seja perfeito, convém pensar, antes de mais nada, na ergonomia e na organização. “Afinal, é um lugar onde você vai passar várias horas do dia. Nada mais justo do que deixá-lo o mais agradável e confortável possível”, pontua Carina.

A primeira recomendação é que se invista em uma cadeira ergonômica para o escritório e em uma mesa que respeite as dimensões necessárias a fim de evitar desconfortos. “A altura da mesa costuma variar entre 70 e 75 cm, podendo ser maior ou menor quando consideramos a estatura do morador”, orienta a profissional.

Leia Também:  Faça esse exercício e perceba como o seu sistema funciona

Além disso, também é essencial priorizar a iluminação. O ideal é que a mesa fique próxima da janela para que o usuário possa usufruir da luz natural. Para dias mais escuros ou na hora de trabalhar à noite, uma luminária de mesa é providencial!

2. Deixe sobre a mesa somente o necessário 

Após os cuidados com o mobiliário, o primeiro passo para quem quer organizar a mesa de trabalho é deixar sobre a bancada apenas os itens que são utilizados continuamente, ou seja, computador ou notebook, porta-lápis e bloco de anotações.

“Quanto mais coisas sobre o móvel, mais fácil é de chegar ao visual ‘entulhado’. Isso atrapalha a nossa concentração e dá espaço para a bagunça aparecer. Os itens que não são usados com frequência podem ficar armazenados em gavetas, por exemplo”, conta Carina.

> 5 dicas para economizar na hora de decorar apartamentos pequenos

3. Utilize gavetas 

Para manter o propósito de ter à vista somente o essencial, Carina recomenda que, se possível, invista em modelos de mesa com gavetas embutidas. “Assim, é possível organizar e até mesmo setorizar o que não deixamos em cima da mesa. Na primeira gaveta, por exemplo, mantenha documentos, agendas e pastas necessários durante a rotina de trabalho. Nas gavetas seguintes, vale guardar o que é utilizado e consultado esporadicamente”, diz Carina Dal Fabbro.

Leia Também:  Previsões do tarot para todos os signos em Abril

4. Aplique prateleiras 

Carina recomenda investir, ainda, em prateleiras, nichos e estantes como forma de otimizar o espaço de armazenamento e fazer valer o espaço vertical. Quadros aramados também são uma boa opção e podem servir para acomodar recados e lembretes importantes, como datas de entrega, planejamentos e calendários.

5. Recorra as caixas organizadoras 

Não se pode falar em organização e esquecer das tão famosas caixas organizadoras, não é mesmo?! “No caso do escritório, as mais indicadas são feitas de papelão, que servem para guardar desde pastas a papéis soltos. Além disso, elas também podem ser etiquetadas para que fique mais fácil identificar o que está sendo guardado”, recomenda a arquiteta. “Outro ponto positivo das caixas é que elas podem ser empilhadas, de modo que não ocupam muito espaço no escritório”, continua.

> 5 dicas para escolher um modelo de mesa para sala de estar

6. Aproveite os acessórios 

Além disso, a arquiteta recomenda investir em divisórias ou organizadores internos para as gavetas, que podem ser usados para separar os clips, post-its, canetas, réguas, fitas adesivas e outras miudezas de papelaria que podem se perder ou bagunçar com facilidade. Por fim, o uso de revisteiros no chão ou nas laterais da mesa também é uma boa opção para otimizar o espaço e manter tudo organizado.

Confira mais conteúdos e dicas de decoração na revista ‘Projeto & Decoração’

Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA