CUIABÁ

SAÚDE

SP monitora seis crianças internadas com sintomas de hepatite aguda

Publicado em

SAÚDE

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse hoje (12) que o estado monitora seis possíveis casos de hepatite aguda grave em crianças. Segundo ele, as crianças estão internadas – quatro no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), uma no Hospital Menino Jesus e uma em Guarulhos.

“Estamos acompanhando e aguardando os exames que possam elucidar. O que sabemos é que é um quadro de hepatite aguda e tem característica viral. Os exames que foram realizados não fizeram nenhum identificação dos vírus habituais de hepatites A, B ou C. Sabemos que há outras hepatites e outros exames estão sendo realizados para que tenhamos, o mais rápido possível, resposta para a nossa população”, disse.

Durante coletiva de imprensa, o secretário adiantou que as crianças estão clinicamente estáveis. “Nenhuma delas necessitou de internação em unidade de terapia intensiva”, completou ele. De acordo com Gorinchteyn, pais e demais pessoas que tiveram contato com os pacientes não apresentaram sintomas da doença.

Ministério da Saúde

Ontem (11), o Ministério da Saúde informou que monitora 28 casos suspeitos em todo o país de um tipo de hepatite aguda infantil de origem desconhecida. “Os casos seguem em investigação. Os centros de informações estratégicas de Vigilância em Saúde e a Rede Nacional de Vigilância Hospitalar monitoram qualquer alteração do perfil epidemiológico, bem como casos suspeitos da doença”, destacou a pasta em comunicado.

Leia Também:  Covid-19: vacinação nas escolas cariocas alcança 30 mil crianças

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Sala de situação vai monitorar varíola dos macacos no país

Publicados

em

O Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos – vírus Monkeypox – no Brasil. A medida, anunciada pela pasta na noite desta segunda-feira (23), tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

“Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da doença no país. A pasta encaminhou aos estados um comunicado de risco sobre a patologia, com orientações aos profissionais de saúde e informações disponíveis até o momento sobre a doença”, informou o Ministério da Saúde, em nota.

Assista na TV Brasil

A vigilância de doenças com potencial para emergência em saúde pública é monitorada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs Nacional), que atua de forma permanente, detectando informações 24 horas por dia.

A varíola dos macacos é uma doença viral endêmica no continente Africano, com transmissibilidade moderada entre humanos. 

No último sábado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações constituiu, em caráter consultivo, uma Câmara Técnica Temporária de pesquisa chamada Câmara Pox MCTI, para acompanhar os desdobramentos científicos sobre o vírus Monkeypox, conhecido como varíola dos macacos. 

Leia Também:  Prefeito reafirma gestão participativa ao empossar integrantes do Conselho da Criança e do Adolescente 

A medida de vigilância científica com consulta a especialistas é necessária, segundo o órgão, diante de casos de infecção registrados em países como Portugal, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos, em maio deste ano.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA