CUIABÁ

AUTO

Bruno Baptista e Velocitta comemoram juntos 10 anos de corridas

Publicado em

AUTO

source
Bruno Baptista confia que pode ficar entre os melhores colocados na prova em Mogi Guaçu (SP)
Divulgação

Bruno Baptista confia que pode ficar entre os melhores colocados na prova em Mogi Guaçu (SP)

Em sua melhor fase no Brasileiro de Stock Car Pro Series 2022, Bruno Baptista tem bons motivos para tentar se destacar novamente na 4ª etapa do campeonato que será realizada com duas corridas, neste domingo (15), a partir das 13h20, no Velocitta, que terá transmissão ao vivo da Band e do canal SportTV 3.

No moderno e seguro autódromo de Mogi-Guaçu , interior de São Paulo, que está completando 10 anos de atividades com a Stock Car , o jovem piloto conquistou a sua primeira vitória na principal categoria do automobilismo brasileiro, em 2019. Agora, neste final de semana, justamente nele, irá comemorar também 10 anos de carreira, iniciada no kart, em 2012.

Ao contrário da maioria dos 32 pilotos que competem no brasileiro de Stock, Bruno Baptista começou tarde no kart, com 14 anos. Competiu apenas duas temporadas que foram suficientes para lhe dar experiência para se tornar, em 2014, com apenas 17 anos, o primeiro campeão da Fórmula 4 Sul-americana , certame que também tinha o aval da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

Porém, naquela época, é claro, sem as mesmas condições técnicas e tecnológicas da atual F4 Brasil , que coincidentemente fará as suas três primeiras corridas da sua 1ª etapa neste final de semana, no próprio Velocitta.

Duas serão no sábado, sendo a primeira às 9h40 e a segunda às 14h40, logo após o treino de classificação da Stock, às 13h25, com transmissão da SporTV. A terceira disputa da F4 Brasil acontece no domingo, às 12h10, como preliminar das duas corridas de Stock Car Pro Series (a inicial às 13h40 e a final às 14h15).

Leia Também:  TikTok deve superar receita de anúncios de Twitter e Snapchat juntos

“Sem dúvida, ter sido o primeiro campeão da F4 sul-americana e estar na mais importante categoria do automobilismo brasileiro justamente na estreia da F4 Brasil, que chegou aqui pela Vicar sob o trabalho de primeira qualidade sob a liderança do seu CEO Fernando Julianelli, é motivo de muito orgulho.

Bruno Baptista em frente aos boxes da equipe que trabalha no seu Toyota Corolla de corrida
Divulgação

Bruno Baptista em frente aos boxes da equipe que trabalha no seu Toyota Corolla de corrida

Dentro do possível, é claro, posso ficar à disposição dos novos pilotos dessa categoria, que tenham interesse, para contar a minha experiência daquela época do meu título e também dos dois anos que corri lá fora na Fórmula Renault e um na própria GP3, enfrentando, inclusive, os maiores nomes dessa nova geração da F1 , como o George Russell, agora na Mercedes, o Lando Norris, da McLaren e outras feras. Mas posso adiantar como principal orientação é que o ideal é não querer pular degraus.

Não ter pressa para escolher uma boa equipe porque os pilotos europeus quase sempre levam vantagem por viverem lá e adquirem melhor experiência para chegar ainda mais novos nas escolas de formação de pilotos das próprias equipes de corridas da F1”, explica Bruno Baptista.

Depois de três anos fora do país, Bruno voltou para o Brasil após receber um convite da Hero Motorsport para correr no Campeonato Brasileiro de Stock Car 2018 com apoio da RCM Motorsport de Marcel Campos, filho do Rosinei “Meinha”, equipe com o maior número de vitórias e títulos da importante categoria.

Bruno teve como parceiro, logo no primeiro ano, o experiente Lucas Di Grassi, que chegou na Stock com a fama de ter sido campeão mundial de Fórmula E , em 2017, pela Audi, além de ter sido um dos grandes nomes da tradicional corrida de longa duração 24 Horas de Le Mans pela própria marca alemã.

Leia Também:  Peugeot 208 1.6 Like: versão mais em conta até a chegada do novo 1.0

Bruno já foi considerado um dos pilotos revelação daquela temporada, mas foi na seguinte, tendo como parceiro Max Wilson, campeão da Stock , em 2010. Com apenas 22 anos, ficou entre os top 9 e obteve a sua primeira vitória, no Velocitta , em fins de 2019, quando passou a ser o quarto piloto mais jovem de toda a história de 40 anos da Stock, naquele momento.

Novo visual do carro de Bruno Baptista aparece pela primeira vez na 4ª etapa do Brasileiro
Divulgação

Novo visual do carro de Bruno Baptista aparece pela primeira vez na 4ª etapa do Brasileiro

É justamente, agora no Velocitta , tendo como parceiro nos últimos dois anos outro experiente piloto, Ricardo Zonta, com boa passagem até no circo da F1, que Bruno Baptista, com 2 vitórias, uma pole-position e 8 pódios (o último com um 2º lugar na veloz pista do Galeão, no Rio de Janeiro), irá tentar mais um bom resultado na principal categoria do automobilismo brasileiro.

“É muito difícil subir no pódio por duas vezes consecutivas em etapas da Stock Car. O desafio é grande diante do nível técnico e qualidade dos pilotos. Mas quanto maior o desafio, mais motivado fico para conquistar outros importantes resultados para chegar no meu principal objetivo de terminar o ano entre os cinco melhores do campeonato”, finaliza Bruno Baptista, que tem apoio das empresas XP Private, Cobra Automotiva, Loctite, Teroson, NGK e VOLT.

*PROGRAMAÇÃO DA 4ª ETAPA DA STOCK CAR NO VELOCITTA*

*Sexta-feira, 13 de maio* 08h20 – Shakedown 11h05 – Treino de Rookie 14h10 – 1º Treino – 1º Grupo 14h50 – 1º Treino – 2º Grupo

*Sábado, 14 de maio* 10h30 – 2º Treino – 1º Grupo 11h10 – 2º Treino 2º Grupo 13h25 – Classificação

*Domingo, 15 de maio* 13h40 – Corrida 1 (30 minutos + 1 volta) 14h15 – Corrida 2 (30 minutos + 1 volta)

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

AUTO

Testamos a Magiflux que transfere líquidos de um recipiente ao outro

Publicados

em

source


A Magiflux permite transferir líquidos de um recipiente ao outro sem usar a boca, evitando acidentes
Divulgação

A Magiflux permite transferir líquidos de um recipiente ao outro sem usar a boca, evitando acidentes

Imagine que o combustível do seu carro acabou e o posto mais próximo fica há umas quatro quadras de onde você está. Então, terá que ir andando até lá e levar um recipiente adequado para encher de combustível. Para não correr o risco de ingerí-lo na hora passá-lo para o tanque do carro, uma solução seria usar a bomba Magiflux.

Patenteada no Brasil, o segredo deste produto está na válvula conectada a uma das extremidades da mangueira que faz o serviço de sucção do líquido aposentando de vez funis e mangueiras comuns.

Segundo a empresa que comercializa a Magiflux , é possível uma vazão de mais de 10 litros por minuto sem precisar da boca para fazer a transferência evitando assim a ingestão ou inalação destes líquidos nocivos à saúde.

Leia Também:  Bruno Araújo descarta proposta de reunião com ex-presidentes do PSDB

O funcionamento é simples : basta colocar a válvula da mangueira do reservatório de origem e posicionar a outra extremidade no recipiente de destino.

Vale lembrar que este deve estar sempre em um nível mais baixo do que o primeiro. Em seguida, é só fazer movimentos rápidos para cima e para baixo para acionar a válvula e o líquido subir pela mangueira.

Para o teste, pedimos a um frentista encher um galão de combustível com 15 litros de gasolina. Logo depois, com a ajuda da Magiflux , colocamos a bombinha da mangueira no galão e a outra parte no tanque de combustível de um Honda Civic e depois chacoalhamos até o combustível ser sugado. Em menos de 1 minuto, já tínhamos abastecido mais de 10 litros de gasolina sem vazamentos ou surpresas desagradáveis.

Repetimos o teste com outros tipos de líquido e também em sacos plásticos próprios para transporte provisório de combustível e o resultado foi igual. Só é preciso estar atento às instruções contidas na embalagem do produto que pede para obedecer ao nível de altura entre os recipientes de origem e destino, e também a verificação de dobras ou cotovelos na direção da mangueira.

Leia Também:  Renault suspende suas operações industriais na Rússia

No caso dos sacos plásticos de combustível, porém, a transferência é um pouco desajeitada e necessita mais cuidado do usuário, para não deixar o líquido vazar. No caso das garrafas PET o bico da válvula da Magiflux é maior que os gargalos destas, impossibilitando a transferência de líquidos.

Para os combustíveis, os postos não podem vendê-los em recipientes que não atendam as normas da ABNT, de acordo com a ANP – Agência Nacional do Petróleo , caso das garrafas PET.

Vendida por R$ 37,50, a mangueira Magiflux mede apenas 1,60 m e é uma opção interessante frente a outras opções mais obsoletas ou mais caras como bombas elétricas.

Outra vantagem é que ela pode ser utilizada em qualquer tipo de veículo a combustão e guardada em qualquer lugar ou mesmo no porta-malas do carro, já que não ocupa muito espaço.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA